Home » DESTAQUES » Associação Brasileira de Hotéis confirma expectativa de altos índices de ocupação no Carnaval 2018

Associação Brasileira de Hotéis confirma expectativa de altos índices de ocupação no Carnaval 2018

O Carnaval de 2018 registrou altos índices na ocupação hoteleira do país e os números registrados em São Paulo bateram recordes históricos para o período. De acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – ABIH Nacional, as cidades mais procuradas nesse carnaval foram Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Salvador (BA), Belo Horizonte (MG), Recife (PE), Olinda (PE) e Fortaleza (CE).

O Rio de Janeiro alcançou a média de 86% de ocupação em seus hotéis e bairros como Flamengo e Botafogo atingiram 96%, seguidos por Ipanema, Leblon e Copacabana, com 89% e Barra da Tijuca que fechou sua ocupação em 82%.

Já a capital paulista surpreendeu o país pela quantidade de foliões na rua e alcançou no Carnaval de 2018 a maior ocupação registrada para o período: 45%. Belo Horizonte também teve seu cenário alterado. A capital mineira passou de cidade de partida a destino para quem quer pular o carnaval. A ocupação hoteleira atingiu 52% em toda a cidade, revelando, assim como em São Paulo, um resultado acima da expectativa para o período do carnaval. “Cidades como São Paulo e BH estão começando a ser consideradas uma opção de destino para o carnaval brasileiro e de produto para as agências e operadoras de turismo. Nos últimos dois anos, em ambas as cidades, a ocupação dos hotéis no período teve um aumento em torno de 15%” explicou Manoel Cardoso Linhares, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – ABIH Nacional.

Fortaleza fechou a ocupação de seus hotéis em 86,2% e Salvador, Recife e Olinda, que esperavam 90% de ocupação, registram durante esse carnaval 98,6%, 97% e 95% de ocupação respectivamente. ”Ao contrario do estrangeiro, o turista brasileiro deixa para fechar a sua viagem na última hora. Entre a expectativa de ocupação aferida uma semana antes do carnaval e as taxas reais do feriado, vimos que destinos como Recife, Olinda e Salvador tiveram suas taxas acrescidas em mais de 5%”, esclareceu Manoel Linhares.

Olinda, Porto de Galinhas e Fernando de Noronha, todas localizadas em Pernambuco, registraram 95% de ocupação em seus hotéis.Natal (RN) fechou o período com ocupação de 92% e Pipa (RN), 88%

No Espírito Santo, a capital Vitória e as montanhas capixabas atingiram 95% de ocupação e Guarapari, juntamente com todo o litoral, 85%. Em Goiás, Caldas Novas 95% e Pirenópolis, 89%. Em Boa Vista (RO), 79%

Para o presidente da Associação Brasileira de Hotéis, nesse carnaval, cidades como o Rio de Janeiro já começaram a sentir os efeitos da emissão de vistos eletrônicos que facilitaram a entrada no país de visitantes dos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão. De acordo com dados divulgados pela Embratur, o Carnaval do Rio de Janeiro contou este ano com a presença de mais de 400 mil turistas internacionais. “Desde novembro do ano passado os australianos podem emitir vistos em até 72 horas, prazo que antes poderia ser de até dois meses e vários grupos de Australianos passaram os festejos carnavalescos no Rio.” Esclareceu Manoel Linhares.

A expectativa otimista se expande para os canadenses, Japoneses e americanos que, desde janeiro, também podem emitir o visto com a mesma facilidade. “O turista internacional programa sua viagem com muita antecedência. Os australianos foram os primeiros a contarem com o benefício. De acordo com a USTOA (United States Tour Operators Association), uma das mais importantes associações de agências e operadoras de viagens dos EUA, a previsão é de que a iniciativa duplique, em alguns anos, o número de turistas norte-americanos no Brasil” comemora Linhares.

Para o presidente da ABIH Nacional, o momento é de buscar formas de estimular o setor durante todo o ano. “O Brasil tem uma variedade muito grande de destinos, atrativos naturais e culturais que precisam ser mais aproveitados. A liberação dos vistos eletrônicos para esses países dever ser só o começo. Precisamos ampliar, urgentemente, os benefícios do visto eletrônico para China. Também precisamos investir mais na busca do turista internacional, aumentar a nossa conectividade aérea, que trará mais vôos e tende a baixar os preços das passagens, tornando o destino Brasil mais competitivo. Também precisamos trabalhar no congresso para a transformação da EMBRATUR em agência, assim teremos mais competitividade e agilidade no mercado internacional” avalia Manoel Linhares.

A Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária) estima que 2,6 milhões de viajantes tenham passado pelos principais aeroportos durante o Carnaval deste ano. Este número representa um crescimento de 4,7% em relação à movimentação na mesma época registrada em 2017, quando o fluxo foi de 2,5 milhões de embarques e desembarques, cerca de 100 mil a mais que em 2016.