Home » HOTÉIS NO MUNDO » Hotéis do grupo CS mudam de nome para Nau

Hotéis do grupo CS mudam de nome para Nau

Os nove hotéis do grupo CS que, no âmbito de um Plano de Especial de Revitalização (PER) pertencem agora ao universo da empresa de capital de risco ECS Capital, vão passar a estar incluídos no Nau Hotels & Resorts, novo operador hoteleiro que integra, para já, dez hotéis.

A marca criada pela empresa de capital de risco poderá incluir novas unidades, nomeadamente as que já estão a ser geridas pela ECS Capital. No total, a empresa tem 20 hotéis (quatro em franchising, incluindo a parceira com o grupo Pestana em Porto Santo ou o Conrad Algarve, na Quinta do Lago) e não descarta futuras aquisições. “O portefólio é de equação dinâmica desde que encontremos novos projectos ou propostas de melhor interesse que sejam sustentáveis”, disse Pedro Almeida, presidente do conselho de administração da Nau, na apresentação da marca à imprensa.

Neste operador foram incluídas as unidades do fundo de investimento com um posicionamento semelhante, de quatro estrelas superior ou cinco estrelas, nove das quais pertenciam ao grupo CS, do empresário Carlos Saraiva. De fora, ficaram as que precisam de melhoramento ou as que não se enquadram no novo conceito e que, por isso, a ECS Capital poderá vender.

“Não podemos ficar reféns de propostas que não sejam interessantes”, disse Pedro Almeida, acrescentando que os restantes hotéis da empresa que não estão incluídos no novo operador “serão avaliados”, podendo ser ou vendidos ou melhorados. Com a criação da marca Nau a expectativa da ECS Capital é aumentar a facturação actual (32 milhões de euros) em 15%. Por seu lado, Fernando Esmeraldo, presidente da ECS Capital, frisou também a “disponibilidade” para novas aquisições e parceira com outros operadores.

A Nau Hotels & Resorts terá no total 3300 camas e 800 trabalhadores directos. Engloba os projectos São Rafael Atlântico, Salgados Palace, Salgados Palm Village, Morgado Golf & Contry Club ou Lago Montargil & Villas, entre outros. Em 2015, na lista estará também um novo hotel em Lisboa, o Palácio do Governador, uma unidade de charme com 60 quartos que abre portas no Verão e que envolve um investimento de cinco milhões de euros.

Depois da aprovação do PER do grupo CS – com dívidas de 1,2 mil milhões de euros – a ECS Capital voltou a abrir sete das noves unidades que estavam desactivadas. No total, gere três fundos (Fundo Recuperação, Fundo Recuperação Turismo e Fundo Albuquerque) e inclui no seu portefólio empresas como a Montalva (dona da marca Izidoro) e a têxtil Moretextil (Coelima), líder no sector têxtil lar na Europa.